Wanda Grandi relembra época do “Fuzuê” e fala sobe sua jornada

Depois de trabalhar como modelo, atriz, apresentadora, Wanda Grandi está se dedicando a projetos sociais. Após a conclusão do curso de empreendedorismo social “VV thinking” e conhecer o método Lotus, pela Sociedade Brasileira de Inteligência Emocional, ela viajou para uma imersão no Quênia, na África, ficando dentro do orfanato Irmani. Já no Brasil, através de uma amiga, conheceu o bairro de Jardim Gramacho, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, no estado do Rio de Janeiro. A partir daí, abriu o instituto “Sete Vidas”, onde faz um trabalho com crianças da comunidade.

A vida de glamour deixada para trás, começou aos dez anos, como modelo e acumulou diversos trabalhos para catálogos de lojas, desfiles e comerciais como Duloren, Helmann’s, entre muitos outros. Como atriz, fez participações em séries de TV, filmes e atuou na novela “Sete Pecados”, da TV Globo, onde interpretou a personagem Tamires.

Formada em Jornalismo, Wanda apresentou, por um ano, o “Fuzuê”, um programa, ao vivo, e diário na rádio Transamérica, no Rio de Janeiro. Trabalhou durante três anos como apresentadora dos canais Premiere e Combate, foi correspondente internacional do programa “Passando a Guarda” e uma das três mochileiras na primeira temporada do “Sem Destino”, do Multishow, no qual percorria, de bicicletas, as praias do Nordeste.

Como foi o seu começo na carreira artística?

Comecei a modelar bem novinha , com 7 anos de idade. Trabalhei em um agência chamada Fany face e fiz bastante publicidade, como Biotônico Fontoura e Mesbla . Ali surgiu o começo da minha carreira.

O que te levou a querer estudar empreendedorismo social?

Sempre foi um sonho. A minha avó Wanda é dona de uma clínica no interior do Nordeste e sempre fez muitos trabalhos voluntários. Passei minha infância toda entregando sopão para a comunidade e participando dos bazares beneficentes que ela fazia. Sempre tive ela como minha maior referência. Sou muito grata por ter nascido e crescido com esse exemplo dentro de casa, de amor ao próximo, de solidariedade, uma avó tão altruísta, que sempre teve dentro do coração a vontade de transformar o mundo. Minha avó aprendeu a fazer parto e atendia de graça as mães sem condições. Ela é meu maior exemplo. Queria estudar para entender melhor sobre empreendedorismo e deixar um legado assim como minha avó sempre fez.

Qual foi sua inspiração para fundar o instituto “Sete Vidas” e quais foram os desafios que encontrou?

Maior inspiração foi ela, minha avó .Sempre encontramos muitos desafios pela frente , mas a recompensa, com certeza, é sempre muito maior e gratificante .

Quando foi que o teatro começou a fazer parte da sua vida profissionalmente?

Comecei no teatro bem novinha também. Acredito que com 10 anos já fazia meu primeiro cursinho de férias na CAL ( Casa de artes em Laranjeiras) . Sempre gostei de arte.

Como foi participar da novela “Sete Pecados” e qual significado a Tamires tem para você?

Foi um sonho e estudei muito para isso. Fiz diversas aulas com a Camila Amada, e a atriz Rosane Gofman também me ajudou muito. Uma experiência linda que vivenciei e guardarei para sempre na minha memória.

O que te fez querer escolher o jornalismo como formação?

Sempre fui muito comunicativa , amava conversar e também gostava de TV. Não podia escolher outra profissão. Me encontrei no jornalismo , escrevendo , apresentando , produzindo matérias. Todo jornalista tem a concepção de mudar o mundo algum dia.

Você apresentou o programa “Fuzuê” na Rádio Transamerica. Quais são as lembranças que tem da época e como foi a experiência na rádio?

Trabalhei durante um ano na época e foi tão gratificante . Eu interagia direto com o público, conversamos muito. Cada dia era uma pauta interessante, que eu também produzia, dava ideias e participava . A gente acaba aprendendo demais também com essa troca , informação, etc .

Tendo apresentado programas no Premiere e no Combate, conte-nos um pouco sobre esse período na sua vida.

Foram 4 anos de muito trabalho. Sempre gostei de assistir luta , me lembro quando abriu vaga para apresentadora. Foi incrível, porque também apresentei o “passando a Guarda” com Jorge Guimarães, o Joinha , e tive oportunidade de fazer backsatge em Las Vegas. Foquei em aprender inglês, aproveitei a oportunidade e estudei 3 meses na UCLA, conciliando estudo e trabalho. Foi um amadurecimento profissional enorme. Não só como apresentadora, mas também como pessoa.

Como era fazer o “Passando a Guarda” no Multishow?

Foi a maior oportunidade da minha vida. Amei morar em Los Angeles, aproveitei também para estudar e focar cada vez mais na minha carreira. Aprendi muito. Como convivia com eles, vi como são regrados e como eles abdicavam também de tantas coisas por inúmeras vezes. Certa vez gravei uma matéria com o Gracie , ele acordava todos os dias às 3:30 da manhã para ir a feira comprar frutas frescas e fazer seu café da manhã e almoço para família. Fiquei impressionada com o filho tão novo e com consciência de alimentação. Foi uma experiência que me marcou e que com certeza quero passar para minha família no futuro.

Deixe uma mensagem.

Acredite no que você sente por dentro, encontre seu propósito de vida, aquilo que está dentro do seu coração e lute por ele! Vá buscar este brilho porque somente ele pode te guiar ao longo de toda essa jornada chamada VIDA! E nunca desista pois Deus está contigo e nunca te abandona !

Deixe um comentário