“Espero Tua (Re)volta” tem recepção calorosa no Festival de Berlim

O filme “Espero Tua (Re)volta”, dirigido por Eliza Capai, foi aplaudido de pé durante sua estreia no último sábado, 9, na Mostra Geração 14+, do Festival de Berlim. Estiveram no tapete vermelho o montador Yuri Amaral, a diretora Eliza Capai e uma das protagonistas, Marcela Jesus (foto). A produção integra, ainda, a seleção do Glashütte Original – Documentary Award 2019, que premia com troféu e 50 mil euros o melhor documentário do festival.

“Nossa tensão e ansiedade, como equipe, se dissolveram quando vimos todas aquelas pessoas se levantando e aplaudindo o filme por uma eternidade. Na sessão seguinte, o mesmo se repetiu. Os dois debates que aconteceram após o filme foram muito profundos e mostraram como as pessoas estavam curiosas sobre a situação política do Brasil. O debate extrapolou o filme e falou sobre toda essa complexidade que vivemos agora. Foi muito especial!”, conta a diretora Eliza Capai.

No filme, os três narradores relembram os eventos de 2013, até chegarem ao processo de impeachment de Dilma Rousseff em 2016 e à vitória do candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro em 2018. O trio propõe diferentes olhares e vivências, mas têm em comum o ativismo por um ensino público de qualidade e uma cidade mais inclusiva. As lutas por direitos coletivos acabaram por lhes render também importantes conquistas individuais: a partir dos debates de feminismo, temas LGBT e de antirracismo realizados dentro das ocupações, os jovens transformaram suas relações e suas próprias formas de se verem e se apresentarem no mundo.

O filme é uma produção da TVa2, com coprodução da Globo Filmes/Globonews, através da Lei de Audiovisual, em conjunto com investimentos do Fundo Setorial (BRDE/Ancine), através de parceria com o Canal Curta! e distribuição da Taturana Mobilização.

Quando a crise se aprofundou no Brasil, os estudantes saíram às ruas e ocuparam escolas protestando por um ensino público de qualidade e uma cidade mais inclusiva. Espero Tua (Re)volta acompanha as lutas estudantis desde as marchas de 2013 até a vitória do presidente Jair Bolsonaro em 2018. Inspirada pela linguagem do próprio movimento, o filme é conduzido pela locução de três estudantes, representantes de eixos centrais da luta, que disputam a narrativa, explicitando conflitos do movimento e evidenciando sua complexidade.

Fonte: Ag. Febre

Deixe um comentário