Depois de descobrir diferentes mundos e planetas, chegou a hora da Codinome Winchester retornar do espaço em “Reunião Entre o Céu e o Inferno”. No primeiro álbum da carreira, os sul-mato-grossenses mostram 12 faixas autorais que abordam a saída do universo e um retorno aos dilemas do dia-a-dia. O disco vem após uma campanha de financiamento coletivo e foi gravado no lendário estúdio Toca do Bandido, no Rio de Janeiro. O lançamento é do selo da casa, Toca Discos.

A Codinome Winchester começou a espalhar sua música através dos EPs “10% Alien” (2014) e “Ocasiões Espaciais” (2016), apresentando canções recheadas de metáforas sobre o homem e explorações no espaço. A continuação dessa estória vem com “Reunião entre o Céu e o Inferno”, que mostra a volta ao Planeta Terra. No disco, a sonoridade calcada no alternativo continua indispensável e mistura o rock n’ roll de décadas passadas com a música contemporânea. O lançamento traz um novo ponto alto à carreira dos músicos, que continuam compondo e se dedicando integralmente ao som autoral. Dessa vez, com o apoio dos fãs, o disco foi gravado em um dos estúdios mais famosos do país, a Toca do Bandido.

“Reunião entre o Céu e o Inferno” é a junção de dois nomes discutidos entre os integrantes da Codinome: “Reunião das Vidas Insanas” e “Céu e Inferno são 2 Estados da Mente”, o último uma frase inspirada no poeta britânico William Blake. As 12 faixas mostram os dois estados de espírito que regem o mundo: o céu e o inferno. O mito e a verdade da existência entre eles se misturam com a volta à Terra no disco.

No novo trabalho, a Codinome Winchester expande as inspirações, após se destacar no cenário do Mato Grosso do Sul e ganhar projeção em nível nacional. Canções como “Alvorada” e “Ácido Esse” são os carros-chefe do registro, por transparecer o amadurecimento dos integrantes. Enquanto a primeira tem uma carga dramática ao falar sobre o submundo escuro do apocalipse, a segunda traça um paralelo entre drogas e sarcasmo excessivo. Problemas sociais fazem parte de “Terror”, um desabafo sobre o medo que a mídia sensacionalista causa no povo; e de “O Paulista”, que discute a sensação de marasmo e falta de sentido da vida. “A Busca” é o ponto otimista do disco, com uma mensagem de amor próprio.

A sonoridade também ganha destaque no registro. “Silver Sunset” explora ao máximo os elementos eletrônicos do synth e teremin, assim como os riffs grandiosos de “O Terço” e a pegada latina de “Mesmo Porto”. As composições retratam temas modernos como a internet e o poder das pessoas no ambiente online em “Dominó”. O álbum ainda conta com “Misofonia”, “Buraco de Bala” e “Maísa”, que inspirou um poema de Gabriel Melo Lima Leal. Rodrigo Armstrong participa da faixa. A Codinome Winchester é formada por Fillipe Saldanha (vocal), Arthur Maximilliano (guitarra e teremim), Guilherme Napa (bateria), Luciano Armstrong (guitarra, backing vocal e sintentizador) e Thiago Souto (baixo). “Reunião Entre o Céu e o Inferno” é uma produção de Felipe Rodarte, com mixagem de Raphael Dieguez e masterização de Felipe Tichauer.

Fonte: buildupmedia

Deixe um comentário