Brazil Production Services aproxima Brasil-Estados Unidos através de suas produções audiovisuais

Lançada em 25 de dezembro último, a comédia “Minha Vida em Marte” – vista por quase dois milhões de espectadores – conta com cenas dos protagonistas Mônica Martelli e Paulo Gustavo em Nova York. Filmada em setembro em lugares como Central Park, Greenwich Village, SoHo e Time Square, no set estiveram não só a dupla brasileira como uma equipe composta, em alguns momentos, por mais de 80 pessoas. Nos bastidores de toda operação estava a Brazil Production Services (BPS), empresa de serviços de produção audiovisual sediada em Los Angeles com escritórios em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Especializada em realizar produções audiovisuais brasileiras nos EUA, a BPS também oferece suporte quando estúdios e produtoras americanas desejam filmar no Brasil. Para “Vingadores: Guerra Infinita”, a BPS fez um pacote de serviços para facilitar uma unidade de filmagem do longa-metragem no Maranhão. O planejamento de quase seis meses foi feito sob sigilo e o filme ganhou o codinome de “Mary Lou” para que não soubessem para qual produção as imagens estavam sendo capturadas.

Para o recém-lançado “Minha Vida em Marte”, por exemplo, um dos cenários escolhidos em Nova York foi uma suíte do 1 Hotel Brooklyn Bridge, com vista para a Ponte do Brooklyn e Manhattan. O longa-metragem é a única produção brasileira a ter cenas nesse local. Outra locação badalada foi a rua Perry Street, na Greenwich Village, em frente ao apartamento da personagem Carrie, de “Sex and the City”.

“Minha Vida em Marte”, distribuída pela Downtown Filmes/Paris Filmes, não é primeira produção brasileira filmada nos Estados Unidos com o apoio da BPS. Os longas-metragens “Não se Aceitam Devoluções”, da FOX, e “Os Saltimbancos Trapalhões: Rumo a Hollywood”, Downtown Filmes/Paris Filmes, já lançados, e “Lucreide Vai para Marte”, ainda a estrear, foram outros filmes rodados em diferentes cidades americanas. Entre outros projetos facilitados estão também “Vai Anitta” (Netflix), “Catfish Brasil” (MTV), “Ultimate Beastmaster” (Netflix) e Lowrider Brasil (Discovery Brasil).

De acordo com Thiago da Costa, CEO da BPS, o conhecimento e a produção local são imprescindíveis para o sucesso de um projeto audiovisual.

“Saber das normas, custos e leis locais é essencial quando se produz em solo diferente do que estamos acostumados. Aqui na BPS temos um pé no Brasil e outro nos Estados Unidos; atendemos nossos clientes em português em solo americano, lidamos com entidades locais e permissões, contratamos seguro e toda a equipe necessária para o andamento de cada projeto. Conhecemos e dominamos a cultura americana, tudo para que o cliente não se preocupe na produção e burocracia envolvida. Somos um parceiro estratégico que transita entre os dois mercados e temos todo o know how que as produtoras brasileiras necessitam ao trazer suas produções audiovisuais para os Estados Unidos”, explica Thiago.

Fonte: Ag. Febre

Deixe um comentário