Adriana Calcanhotto apresenta show “A Mulher do Pau Brasil”

O show A Mulher do Pau Brasil, da cantora e compositora Adriana Calcanhotto, faz única apresentação no Theatro Net São Paulo dia 31 de janeiro, quinta, 21h, após percorrer cidades da Europa e do Brasil com sucesso de público e boa recepção da crítica especializada.

A Mulher do Pau Brasil foi idealizado como ‘concerto-tese’, ou seja, uma conclusão da residência artística de Adriana Calcanhotto na Universidade de Coimbra, onde esteve nos últimos dois anos entre cursos e apresentações.

Acompanhada por Bem Gil e Bruno di Lullo, Adriana idealizou um roteiro com músicas compostas no período, releituras (a recente As Caravanas, de Chico Buarque, por exemplo) e também reencontra clássicos de seu repertório, como Esquadros, Vambora e Inverno.

A inédita canção-título abre o show em tom autobiográfico (Nasceu no Sul / Foi para o Rio / E amou como nunca se viu) e também retoma o nome de um espetáculo do início da carreira de Adriana (A Mulher do Pau Brasil), ainda em Porto Alegre, nos anos 1980. Foi quando começou a ser instigada pelo Manifesto da Poesia Pau Brasil, do modernista Oswald de Andrade, e toda a sua influência no movimento tropicalista décadas depois. Tais temas sempre estiveram presentes na obra de Adriana e ressurgiram com intensidade no período português.

Não à toa que Vamos Comer Caetano, composta para o disco Maritmo (1998), foi retomada no repertório e sublinha o conceito antropofágico da apresentação, através da ideia de devorar, se apropriar e reinventar a informação que vem de fora. “Costumavam me perguntar se eu já tinha virado portuguesa e eu sempre respondia que não. Nunca me senti tão brasileira como agora”, conta Adriana Calcanhotto.

Por conta do pigmento vermelho extraído de seu tronco, o Pau Brasil se tornou a primeira riqueza nacional exportada/explorada pelos colonizadores. Além de dar nome ao País, a árvore foi responsável por tingir tecidos e objetos na Europa, onde se tornou extremamente valorizada. Mais de cinco séculos se passaram e Adriana refez a travessia da madeira em 2016, quando foi nomeada Embaixadora da Universidade de Coimbra e iniciou uma residência artística no local, através de cursos, concertos e seminários.

Desde então, Adriana tem desenvolvido um trabalho de divulgação e estudo da literatura portuguesa junto de diversas Universidades Europeias e Brasileiras, dando-se conta que agora no Brasil é vista como a “Embaixadora da Universidade de Coimbra” e na Europa, sente-se cada vez mais “A Mulher do Pau-Brasil”.

Inspirada pelo movimento modernista brasileiro dos anos 20, no seu “Manifesto da Poesia Pau-Brasil”, a sua influência sobre o Tropicalismo (toda a informação externa deve ser devorada e reinventada nos seus próprios termos), e com base na aprendizagem, pesquisa e trabalhos desenvolvidos como professora e Embaixadora da Universidade de Coimbra, Adriana criou este espetáculo, no qual reflete sobre todas estas novas experiências através de antigos sucessos, novas canções, novas leituras e reinvenções.

Fonte: Arteplural Comunicação

Deixe um comentário