O Estúdio Walt Disney Animation apresenta o musical A PRINCESA E O SAPO, uma comédia de animação ambientada na cidade de Nova Orleans. Dos criadores de A Pequena Sereia e Aladdin chega a abordagem moderna de um conto clássico, apresentando uma bela garota chamada Tiana (ANIKA NONI ROSE), um sapo-príncipe que quer desesperadamente voltar a ser humano e um beijo inevitável que leva a dupla em uma aventura hilariante pelos místicos pântanos da Louisiana.

A PRINCESA E O SAPO marca o retorno da animação feita à mão da reverenciada equipe de John Musker e Ron Clements, com músicas do compositor, ganhador do Oscar®, Randy Newman.

A Princesa e o Sapo marca o retorno aos musicais da Disney, reminiscente de clássicos como A Bela e a Fera, O Rei Leão e Aladdin. Os diretores Ron Clements e John Musker, veteranos dos favoritos da Disney A Pequena Sereia e Aladdin, trazem a mesma visão criativa e habilidade narrativa para A PRINCESA E O SAPO.

Em desenvolvimento desde 2006, A PRINCESA E O SAPO marca o retorno à tradicional animação 2D feita à mão dos Estúdios Walt Disney Animation. Randy Newman ganhou o prêmio da Academia® por seu trabalho em Monstros S.A. Ele ganhou prêmios Grammy® por Monstros S.A., Toy Story e Vida de Inseto (entre outros).

BRINCANDO COM SAPOS – Os animadores e artistas de desenvolvimento visual convidaram ao estúdio um bando de sapos de carne e osso com o intuito de entender a fundo o que faz um sapo ser um sapo.

NONA PRINCESA DISNEY – A mais nova princesa Disney, Tiana, se junta a Branca de Neve, Bela Adormecida, Cinderela, Bela, Ariel, Pocahontas, Jasmim e Mulan. A Princesa e o Sapo é o primeiro filme de uma princesa Disney desde Mulan, que foi lançado em 1998.

TUDO A BOM TEMPO – Levava cerca de 20 minutos para um animador criar um desenho de A Princesa e o Sapo. Os animadores levavam de 20 a 40 horas para criar a base para uma cena de A Princesa e o Sapo. Essa mesma cena passava, então, de dois a três meses percorrendo todos os departamentos de produção até se transformar na cena final a cores.

TODA AQUELA CHUVA — Ron Clements estava no Jazz & Heritage Festival de Nova Orleans, quando foi surpreendido por um temporal e precisou se abrigar embaixo de uma mesa. Posteriormente, Clements acrescentou uma cena no bayou, em que Tiana e o príncipe Naveen são surpreendidos por um temporal.

LATER GATOR – O famoso chef Emeril Lagasse dublou o papel do jacaré Marlon.

COM A BOCA NO TROMBONE — Terrence Blanchard, trompetista e lenda do jazz de Nova Orleans, interpretou todos os solos do jacaré Louis no filme. Ele também dublou o papel de Earl, o líder da banda do barco fluvial.

BEM NA FOTO – Os cineastas fizeram mais de 50.000 fotos de imagens locais icônicas para serem usadas como referência e inspiração, incluindo edificações, restaurantes e o Garden District.

TODO MUNDO ADORA UM DESFILE – Os cineastas foram convidados a participar do Mardi Gras em um carro alegórico. Ao final do filme, há caricaturas dos diretores atirando colares de contas de cima do carro alegórico durante o desfile do casamento.

UMA BOA CAUSA – Durante a sua estadia em Nova Orleans, os diretores, Ron Clements e John Musker, e o produtor, Peter Del Vecho, se alistaram como voluntários da organização Habitat for Humanity, ajudando na reconstrução da cidade.

TUDO EM FAMÍLIA – Alguns dos personagens figurantes foram baseados em integrantes da equipe de produção. O homem com o cavalo na sequência de abertura foi baseado no supervisor de animação, Eric Goldberg. A imagem do produtor Peter Del Vecho pode ser vista riscando o salão de dança num tango durante o Baile de Máscaras. As garotas se derretendo pelo príncipe Naveen foram todas baseadas em integrantes da equipe de produção. Marlon West (supervisor de efeitos especiais) e Bruce Smith (supervisor de animação) inspiraram os amigos de Tiana no café e um dos integrantes da banda tem a cara do roteirista Rob Edwards. O chefe de história, Don Hallm, dubla o personagem de Darnell. O artista de storyboard, Paul Briggs, dubla o personagem Two Fingers.

TALENTO LOCAL — “Trombone Shorty”, um famoso músico local, tocou em “Down in New Orleans”. E o guia turístico local dos cineastas, Al Hebron, dublou a voz do comandante do barco.

MULTI-TALENTOSO — Terence Simeon, músico local premiado com o Grammy®, tocou acordeão, rub board, triângulo e concertina na canção de zydeco, “Gonna Take You There”.

LUZ INTERIOR — Randy Newman dubla a voz do vaga-lume primo Randy, que é uma caricatura do compositor. Na verdade, Newman havia sido escalado para dublar vários personagens do filme — um texugo, uma tartaruga — mas só o vaga-lume foi mantido na montagem final.

TOQUE OUTRA VEZ – Um dos momentos mais emocionantes para o diretor Ron Clements foi quando ganhou um recital pessoal de Randy Newman. Clements chegou mais cedo para uma sessão na casa de Newman e o compositor premiado com o Oscar® tocou para ele a primeira canção que ele compôs para o filme.

MÚSICA PARA OS MEUS OUVIDOS – A música tem um papel tão fundamental no estilo de vida de Nova Orleans que os cineastas acharam importante refletir essa diversidade no filme.  O compositor premiado com o Oscar®, Randy Newman (Carros, Monstros S.A., Toy Story) criou uma trilha original para o longa-metragem que abrange vários estilos, incluindo jazz, blues, gospel e zydeco; e apresenta sete canções inéditas.

COMPORTAMENTO ANIMAL – Os diretores John Musker e Ron Clements visitaram o Audubon Zoo de Nova Orleans para se inspirarem. E conheceram jacarés nativos, que inspiraram o jacaré-trompetista do filme, e maçaricos bico-de-colher, que influenciaram as aves na canção gospel de Mama Odie, “Dig A Little Deeper”.

ESCUTA ESSA – O designer de som, Oden Benitez, foi à praça Jackson Square, em Nova Orleans, para gravar os sons do sino da igreja e do bonde.

LENDAS – Uma das viagens a Nova Orleans mais emocionantes para os diretores Ron Clements e John Musker foi quando gravaram Dr. John e Randy Newman no estúdio de gravação local, The Music Shed (que lembrava mais um barraco de chapas de aço corrugado). O coro gospel também gravou no estúdio, onde artistas como Robert Plant, Fats Domino e Norah Jones também já gravaram. Tanto Dr. John quanto Newman possuem uma forte ligação com Nova Orleans.

PESQUISA MINUCIOSA – Os cineastas embarcaram no passeio do Nanchez Riverboat para garantir a autenticidade das cenas do barco fluvial. Eles também fizeram um tour particular no sistema de bondes de Nova Orleans.

Deixe um comentário