Disney lançou o live-action no ano de 2017, alcançando mais de um bilhão em bilheteria

Pera! Você já conhece tudo sobre “A Bela e a Fera”? Bom, nós acreditamos que não! — Considerado um dos maiores clássicos da história das animações, o conto de uma ferra e uma jovem donzela do interior da França, que foi recriado pelos estúdios Disney, que confiou ao diretor Bill Condon, para trazer o clássico de 1991 a sua versão extrema em 2017.

Procurando manter as características fortes e marcantes que o público viveu no cinema há 29 anos, a produção não poupou esforços para fazer com que tudo fosse perfeito. Para dar uma roupagem nova ao filme e tirar o fôlego dos milhares de espectadores nas salas de cinema, foi contratado uma equipe de peso para garantir com que a magia fosse a mais verossímil possível. Afinal, quem não ficou de queixo caído ao ver Emma Watson, que muitos guardavam lembranças da saga Harry Potter, dançando com Dan Stevens, que apesar de não ter sua aparência mostrada, conseguiu trazer uma química realista dançando uma das valsas mais clássicas do cinema.

A música de Alan Menken, um dos compositores de ouro de Walt Disney, também continuou encantando corações, com a música principal sendo interpretada em sua versão original por ninguém menos que Ariana Grande, uma das artistas que mais tem se destacado em Hollywood.


Foto: Walt Disney Pictrus

Além de Watson e Stevens, o elenco foi muito bem recebido pela atitude dos produtores em chamarem nomes de peso para dar equilíbrio em seus diversos núcleos de personagens, como Luke Evans e Josh Gad, que viveram os inseparáveis, porém não recíprocos em vários momentos: Gaston e Le Fu. A dupla de antagonistas carismáticos, também trouxeram uma leve felicidade para o público LGBTQI+, que apesar de muito rápido nas cenas, podemos ouvir na mídia uma grande novidade envolvendo a representatividade através da admiração do Le Fu pelo Gaston.

A mensagem principal e que a seguiu desde 1991, é mantida plenamente durante as questões que ceram o filme, de onde vimos o desenrolar da história clássica e o desenvolvimento gradual em que Bela passa a ver em seu sequestrador, uma figura amável, revelando assim o príncipe que existia embaixo de suas características de fera.

O conto original de Gabrielle-Suzana Barbot, que se inspirou na França do século XVIII, é lembrado até hoje, e os amantes da cultura pop podem concordar que o seu legado será estendido por muitas gerações. Não é atoa que a notícia do lançamento da animação na época, abriu a mente dos membros do comitê da The Academy Awards, garantindo ao animado, o primeiro filme do gênero a ser indicado a categoria de melhor filme do Oscar de 1991, além de sua vitória na categoria de melhor canção original.


Segredos de uma mega produção:

A produção concorreu a mais de 10 premiações, e ganhou 10 das 28 categorias na qual foi indicado, inclusive a de melhor filme do ano no MTV Movie & TV Awards.

Quem olha e aproveita os 129 minutos de filme, talvez consiga ter uma pequena noção da beleza que foi aplicada nesse novo live-action da Disney, que com certeza veio para fazer companhia a “Malévola”, lançada três anos antes de “A Bela e a Fera”, que também deu um ‘show’ de efeitos visuais, mostrando como a tela verde e os objetos cenográficos conseguem fazer maravilhas nas telonas.

A equipe do diretor Bill Condon realmente nos impressionou com alguns detalhes, que de perto se tornam gigantes, como o que para criarem a iluminação à vela do castelo estilo medieval, foram gastos simplesmente 8.700 velas, o que calculando em um tamanho padrão dariam mais de 26 metros de cera. Quanto será que já se foram do orçamento até aqui? Não fechem a conta ainda!

Foto: The Walt Disney Pictures

É fato de que Hollywood tem o potencial de criar cenários incríveis onde os atores estão gravando dentro de estúdio que se multiplica né? O Pinewood Studios, localizado em Londres, recebeu a montagem de um salão de dança que é o sonho de qualquer debutante nesse mundo! Foram usados mais de mil metros quadrados de mármore artificial para construir todo o piso de onde se passou os três minutos da cena da valsa, além de 10 lustres de quatro metros que conseguiram criar a iluminação perfeita captada pelas câmeras. Na lista de compras do filme, também podemos colocar 1.500 rosas-vermelhas verdadeiras, três cavalos de verdade, árvores plantadas, cercas-vivas e 20 mil pingentes de gelo que tiveram que ser usadas na construção da floresta externa do castelo.

A única coisa nessa extensa lista que podemos falar que veio de graça, foi o cachorrinho do maestro e da cantora, que foi resgatado por uma das mais famosas e tradicionais instituições de salvamento de animais do Reino Unido.

Foram mais de mil trabalhadores envolvidos ininterruptamente para confeccionar toda a estrutura dos cenários, que mais parecem um conto de fadas na realidade. Qual seria o tamanho do sonho de dar um passeio pelos estúdios de “A Bela e a Fera”? — Pois é, a dimensão é bem por aí.


Jovem consagrada no mercado:

Foto: The Walt Disney Company

Para termos uma ideia, o orçamento do filme foi de 160 milhões de dólares, o que no Brasil seria R$ 903.037.920. A indústria cinematográfica dos Estados Unidos é considerada uma das mais ricas do mundo. De acordo com uma matéria publicada ainda nesse ano pelo jornalista Marcelo Testoni na “Revista Super Interessante” do Grupo Abril, onde listaram os 10 produtores e cineastas mais ricos de Hollywood, os totais de suas fortunas superam o montante de 20 bilhões de dólares. Em relação a nossa protagonista, Emma Watson, a edição brasileira da revista Vogue, revelou que a atriz teria ganhado uma média de 15 milhões de dólares, isso incluindo um salário “normal” de 3 milhões, e de acordo com informações da The Hollywood Reporter, ela ainda acrescentou algumas participações nos lucros do filme. O valor superou em muito o seu ganho na franquia de “Harry Potter” da Warner Bros, onde nos oito filmes, recebeu apenas 60 milhões.


O vestido mais valioso dos contos de fadas:

Agora, o vestido usado por Emma Watson, nós nos perguntamos se ela realmente tinha noção da peça que ela estava vestindo durante boa parte de suas cenas no filme. Façam as contas e vejam se o seu cartão de crédito teria limite para isso:  55 metros de cetim amarelo levíssimo, 915 metros de linha, e como se não bastasse tanta riqueza em detalhes que demoraram mais de 12 mil horas para ficar pronto, a vestimenta também foi realçada (como se precisasse de mais, né?), foram colocados mais de 2 mil cristais Swarovski, que simplesmente é uma das marcas mais cobiçadas do mundo nesse segmento. Será que pelo menos ela pode levar o vestido para casa como recordação? Imagina usar essa peça nos 15 de suas amigas, a inveja que iria dar!

Foto: The Walt Disney Pictures

Presente de aniversário:

Pensem em qual presente de aniversário você mais gostaria de ganhar? Pois é, acontece que Emma Watson (Bela), Emma Thompson (Madame Samovar), Luke Evans (Gaston) e Nathan Mack (Zip), fazem curiosamente aniversário no mesmo dia! (Sim gente, quatro pessoas do elenco do mesmo filme) – E qual seria a melhor forma de comemorar a data? Com a primeira leitura completa do roteiro do filme. Gente imagine que felicidade! Também quero o meu aniversario assim.

E aí! Você imaginava que por trás de um dos clássicos mais amados do cinema, tivesse tantos detalhes assim? Pois é, como diria a música: “Sentimento assim, sempre é uma surpresa, quando ele vem, nada o detém”, o resto vocês conhecem!