Cantora, dubladora e atriz, Mônica Marianno colecionou em sua carreira diversos trabalhos no mundo artístico. Dublando inúmeras séries para a Disney Jr, Discovery, Amazon, e Netflix, seu trabalho veio se popularizando e chegou ao ápice em maio de 2017, quando deu voz a Mónica Gaztambide, a Estocolmo da série “La Casa de Papel”, interpretada originalmente pela atriz Esther Acebo.

Criada por Álex Pina e produzida pela Vancouver Media, a série ganhou repercussão interncaional, conquistando uma legião de fãs no Brasil, e recebendo em 2018 o Emmy Internacional de melhor série dramática. A torcida de Mônica, xará de sua personagem, é muito grande pela evolução da personagem na quinta temporada, que de acordo com o site “Canal Tech”, teve a quinta e sexta temporada garantida pela Netflix. Confira a entrevista com a dubladora!

Para que não a conhece, poderia nos contar um pouco sobre o seu trabalho na dublagem?           

Depois de 20 anos de carreira como cantora fui buscar o oficio da dublagem através do teatro, e assim que me formei e obtive o registro profissional comecei os estudos da técnica da dublagem. Foram muito cursos, workshops e estágios até que em 2015 surgiu o primeiro trabalho: uma pontinha no realty Guerra Dos Cupcakes e 90 Dias Para Casar.

Com a chegada de 2017, o publicou recebeu de braços abertos a sucesso de “La Casa de Papel” na Netflix, onde interpretou a Mónica que nos trouxe muitas aventuras. Qual foi o momento mais marcante, e qual o significado desse personagem para você?

A Monica foi um marco para mim, eu era novata e esse personagem me trazia muitas nuances que tive que ir buscar dentro do meu repertório de vida. Meu primeiro contato com a personagem foi numa cena onde ela sussurra para o Arturito que está gravida e com isso gravei as primeiras falas num registro mais grave, mais intimista, e ao longo da série a personagem foi crescendo e pude ver as muitas faces da Monica Gaztambide, depois Estocolmo com muita alegria e muita garra. No ano passado pude conversar com a atriz Esther Acebo que me disse que para ela, Monica era um tigre preso numa jaula e assim que o Denver entra em sua vida ela se liberta e mostra sua verdadeira face.

O momento mais marcante para mim foi (spoiler) quando a Nairobi toma o primeiro tiro no fim da terceira temporada, saí do estúdio arrasada de chorar pois a Monica é quem está com ela na cena.

Foto: Divulgação

Além da dublagem, você já realizou outros trabalhos como atriz?

Só com teatro em pequenas produções, comerciais, locuções e jingles. Minha carreira é mais longa na música, certamente vocês já ouviram minha voz nos comerciais da Decolar.com.

Como você vê o mercado artístico brasileiro? Ainda falta valorização da cultura e dos artistas no Brasil?

Penso que o Brasil, artisticamente, é uma ilha que criamos na nossa mente, com nossa incrível música brasileira e todas as nuances, a tv e dramaturgia brasileira, a literatura, as artes em geral. Penso que temos apenas isso para nos agarrar como uma grande bóia num oceano de descaso e total abandono, vide a cinemateca. O Brasil não existe como nação, somos um amontoado de gente com nossas memorias e resistimos sabe-se lá como.

Foto: Divulgação

Como está sendo passar por essa quarentena na dublagem? 

Esta muito difícil, existem estúdios que moveram céus e terras para continuarmos e existem os que negam que estamos em grande perigo, mas as atuais mortes falam por si só. Ainda não dá para voltar a trabalhar num ambiente fechado com ar condicionado e espumas por toda a parte.  Então tenho trabalhado remotamente, criei um cantinho com isolamento acústico, recebo um link onde me conecto com o diretor e o técnico e vamos fazendo, num ritmo mais lento por ser on-line, mas com muita garra, vontade e necessidade de me sustentar. Não é fácil, estou trabalhando 20% do ritmo normal. Mas estou também descobrindo novos diretores e estúdios onde não tinha tido oportunidade antes.

Ainda sobre a série, você acredita que ainda poderemos ter um retorno na quinta temporada?      Acredito sim numa quinta e por que não sexta temporada, (risos), desde que sejam tão lindas e bem costuradas como as outras, e tenho a sensação que a Estocolmo terá lugar de destaque nessas novas filmagens e honestamente, torço para ela ficar com o Denver, porque …ah…porque sim! (Risos), BELÊ? Beijos.