São Paulo, março de 2020 – Com propósito de ajudar pessoas saudáveis e vulneráveis durante a pandemia da Covid-19, as empresas MyBasic e HJ Têxtil que já são parceiras há anos, se uniram para confeccionar e doar máscaras de tecido 100% algodão.

A ação é uma iniciativa das duas empresas: a MyBasic marca de vestuário feminino com práticas sustentáveis e HJ Têxtil confecção e tecelagem com valores e princípios semelhantes. Juntas as empresas se uniram para produção, divulgação, logística e distribuição. O resultado veio rápido, gerando uma corrente social, fazendo com que a empresa fosse procurada por diversas pessoas querendo ajudar, inclusive, costureiras querendo apoiar voluntariamente na confecção das máscaras.

A campanha foi iniciada nesta segunda-feira (23), no Instagram das marcas, e a distribuição iniciada no dia seguinte, terça-feira (24), em dois dias já haviam sido doadas 3 mil máscaras.

Com mais 2 mil máscaras em produção, a expectativa é de 5 mil máscaras doadas em 5 dias de ação.

As doações podem ser solicitadas através de um número de whatsapp disponibilizado pela MyBasic. A maior parte dos pedidos tem sido de pessoas físicas, muitas com intenção de doar para instituições carentes, feirantes e ou outras pessoas da comunidade ou uso pessoal e que de alguma forma estão expostas na rua e não podem seguir as recomendações de reclusão. A maior parte dos pedidos são das cidades de São Paulo, mas também foram recebidas solicitações das máscaras para os estados do Paraná, Piauí e Brasília.

Houve também quem procurasse as empresas para um pedido de doação diferente: 500 toucas para proteção dos cabelos que também pode ser um agente transmissor do vírus. A doação será feita para a Força Aérea de São Paulo, que já havia conseguido doações de máscaras cirúrgicas, mas não de toucas que é fundamental para proteção dos funcionários. As empresas atenderão ao pedido e farão a doação.

Além dos pedidos através do canal disponibilizado, a MyBasic e a Hj Têxtil, também fizeram doações de máscaras para as ONGS Missão Belém, Fogão na Rua e Kurt, instituições responsáveis por prestar suporte à moradores de rua.

Os critérios adotados para a produção das máscaras e a responsabilidade social da MyBasic:

Antes de iniciar a campanha a MyBasic, sob direção de Carolina Pucci – uma das duas sócias da marca de vestuário – fez uma busca por estudos, conversou com médicos e profissionais da área de saúde para entender a segurança das máscaras de tecido. Descobriu-se que as máscaras têm capacidade de 50% de proteção se comparadas às de práticas cirúrgicas, portanto, só devem ser usadas por pessoas saudáveis. A máscara não é eficiente para uso hospitalar e nem por pessoas que já estejam acometidas por alguma infecção, seja ela a Covid-19 ou qualquer outra doença. Devem ser trocadas a cada duas horas e higienizadas com água e sabão neutro.

Responsabilidade social é assunto sério para a empresa paulistana, que tem em seu DNA os pilares da sustentabilidade como força motriz do negócio. Não é a primeira vez que a empresa se engaja em ações de cunho social, sócios e porta-voz da marca Carolina Pucci acredita que é muito importante o envolvimento do empresariado nas questões sociais e faz um chamamento para que outras marcas e empresários possam se engajar na inciativa: “Por menor que sejam as marcas e as empresas, todos podemos nos envolver de alguma forma, em momentos críticos como o que vivemos em torno da Covid-19. Lógico que as pequenas marcas estão sofrendo muito com esse momento mas todos devemos pensar no que podemos fazer dentro da possibilidade de cada um. Aqui na MyBasic, com a readequação da nossa operação, colocamos essa ação dentre as prioridades na linha de frente para o enfrentamento dessa pandemia. Gostaríamos de contar com  novos parceiros nesta corrente”, convoca Carolina.

Parte desse DNA de sustentabilidade social da MyBasic é que a marca, que está há 8 anos no mercado, sempre se preocupou com sua cadeia produtiva mesmo quando esse não era um assunto em pauta para a maior parte da indústria da moda. Esse pilar que é tão fundamental para a empresa é corroborado pela parceria de mais de 6 anos com a Ecotece (fotos), instituição do terceiro setor que atua na promoção de cultura da sustentabilidade da moda, amparando e respaldando projetos sociais e culturais para capacitação de mão-de-obra qualificada para diversas empresas no Brasil. Hoje, mais da metade da renda fomentada pela Ecotece é proveniente das demandas de produção da MyBasic, que conta com cerca de 70 costureiras brasileiras, capacitadas pelo instituto e empregadas com produção contínua solicitada pela etiqueta. Cuidar de vidas e caminhar lado a lado, juntos com a comunidade local, também pode ser um bom negócio.