Fernando Redondo jogou uma única temporada com Del Bosque na equipe principal do Real Madrid, mas, depois de aposentado, trabalhou com seu antigo treinador por seis anos no Santiago Bernabéu. E o ex-jogador argentino diz que as lições aprendidas o acompanharam desde então.

“Tive ótimos treinadores durante minha carreira de jogador”, diz Redondo. “Todo mundo deixa alguma coisa para você. Mas, Vicente Del Bosque (foto) era especial. Tanto no futebol, onde ele entendeu meu potencial e me deu a liberdade de percorrer o meio-campo, quando por sua maneira de ser. Ele era um homem íntegro, em todos os aspectos. Foi uma ótima experiência e me proporcionou muitas coisas, tanto profissionalmente quanto pessoalmente”.

Nascido em Buenos Aires em 1969, Redondo mudou-se do clube de sua cidade natal, o Argentinos Juniors, para o Tenerife, na LaLiga, em 1990, com apenas 21 anos de idade. Lá, ele jogou sob a direção de outra lenda dos blancos, Jorge Valdano, tornando-se um dos meias mais influentes da LaLiga, antes de viajar à capital em 1994 – e por seis temporadas no Bernabéu, ele fez parte de uma equipe cheia de superestrelas que conquistou títulos da LaLiga em 1994/95 e 1996/97, além dos troféus da Liga dos Campeões de 1998 e 2000.

“Tive muita sorte de jogar com muitos grandes jogadores”, diz. “Seria injusto escolher apenas um, mas do meu tempo em Madri, quando conseguimos tantos títulos, devo mencionar Fernando Hierro, Raúl González, Roberto Carlos, por exemplo. A lista é muito longa”.

O elegante e habilidoso meia defensivo, uma posição conhecida na Espanha como ‘pivô’, jogou 10 clássicos da LaLiga durante sua carreira. E agora, na entrevista, assumiu que seus maiores adversários durante esses anos foram os jogadores brasileiros do Barcelona. “Joguei contra muitos grandes jogadores. Mas, para citar alguns, eu diria que Rivaldo, Ronaldinho e Ronaldo (Nazário), quando jogou pelo Barcelona. Eles foram todos incríveis”.

Tendo jogado no Bernabéu como anfitrião e visitante, quando estava no Tenerife, Redondo também diz que, para ele, o estádio do Real Madrid é o melhor do mundo. “Sem dúvida, o Bernabéu é especial, por causa da minha paixão e amor pelo Real Madrid. É um estádio fantástico para jogar e assistir futebol. A atmosfera é especial, você sente”.

Autor de 12 gols em um total de 240 jogos na LaLiga, Redondo escolheu seus gols favoritos ao longo de sua carreira: o fantástico gol de longa distância pelo Tenerife, na casa do Athletic Club, em 1992 e quando driblou quatro defensores paraguaios, em seu único objetivo como atleta da seleção argentina no ano seguinte. “Nunca marquei muitos gols, mas me lembro de um em Bilbao, em San Mamés, quando joguei com o Tenerife”, diz Redondo. “E depois com o time argentino, nas eliminatórias da Copa do Mundo, contra o Paraguai”.

Agora como embaixador da LaLiga na Argentina, sua terra natal, Fernando diz que o futebol continua reunindo sua família nos dois lados do Atlântico. “Sempre fui torcedor do Independente, clube de Buenos Aires, assim como meu avô, meu pai e também meus filhos. Que, agora, fazem o mesmo com o Real Madrid. Mas eu tenho um coração madridista. O Real Madrid tem um espírito muito competitivo e sempre exige o máximo absoluto, sempre vencendo no final”.