Foto de capa: Débora Raphael

Nessa última semana, o grupo 1Kilo conquistou um marco histórico ao comemorarem mais de 450 milhões de ouvintes do hit “Deixe-me Ir”, que foi composto pelo Baviera, rendendo ao grupo a entrega de um prêmio pela plataforma OneRpm. O grupo foi o primeiro de rap a ser condecorado com o diamante triplo, que acabou pegando todos os membros de surpresa com uma cerimônia no Rio de Janeiro.

Diamante triplo:

Com a era do streaming, as certificações por quantidade de vendas tornaram-se um grande feito, e quanto mais nichado for o gênero musical, maior o desafio. Não para 1Kilo. A gravadora recebeu disco de Diamante Triplo, tornando-se o primeiro nome do rap nacional a ser premiado com essa certificação pela ONErpm.

E a 1Kilo conquistou essa marca com apenas um hit. “Deixe Me Ir”, assinada por Baviera, Knust e Pablo Martins, aclamada em todo o mundo, superou os 450 milhões de plays. Os números são da ONErpm, responsável pela distribuição das músicas do grupo para as principais plataformas de streaming.

Rasta (Foto: Débora Raphael)

Essa quantificação é feita com base no consumo digital. Assim, “Deixe Me Ir” foi ouvida 496.882.639 milhões de vezes. Se esses números fossem convertidos em vendagem física, o single da gravadora carioca teria comercializado mais de 900 mil CDs.

A premiação foi entregue dia 15 de outubro, na “Casa da 1Kilo” que fica no Recreio dos Bandeirantes, no Rio de Janeiro. Na ocasião, a gravadora também aproveitou para lançar um trabalho inédito do Rastabeats Jam 3. Assinado por CT, Pablo Martins, Lucas Muto e Matheus MT, “Tempestade” é o quarto single do projeto que está em sua terceira edição e soma mais de 1bilhão de plays.

Antes da premiação, um dos integrantes do grupo, DoisP conversou um pouco com nossa equipe e nos deu um bate-papo exclusivo. Confira!

Vocês acabaram de receber o prêmio da OneRpm pelo sucesso da música “Deixe-me Ir”, por ter batido mais de 400 milhões de ouvintes. Como vocês estão se sentindo agora?

A gente está muito feliz, eu acho que que é uma realização tanto para nós, como para o rap nacional e tudo que a gente representa no cenário independente da música no Brasil, porque acredito que poucos anos atrás isso era cogitado meio como impossível para qualquer um dos grupos, bandas, selos, enfim, que estão no mesmo mercado que a gente. Estamos muito contentes e agradecendo claro, tanto a ONERpm como os envolvidos no trabalho.

Baviera (Foto: Débora Raphael)

Já que estamos falando sobre esse grande sucesso, podem nos contar um pouco mais sobre a história da produção dele?

Essa música é de autoria do Baviera, ele que trouxe a música para dentro da 1Kilo e mostrou para gente no violão. Essa música já teve até beat, versão de trap, versão de sei lá o que (risos). Mas a gente preferiu fazer no voz e violão, um acústico. Acrescentamos um verso do Knust que ele fez na hora em que ouviu a música, e o Pablo cantou uma das partes que o Baviera havia composto junto com o CT e outro compositor. Quando a gente lançou, não esperávamos tanto, até pela simplicidade da música, mas acho que esse foi um dos fatores fundamentais dela ser tão ouvida e tão repercutida.

Outra notícia que temos é a do lançamento do single “Só Nós Dois”, que é o primeiro a fazer parte do Rastabeats JAM 3. Como está sendo fazer parte dessa edição?

Para mim é muito especial. É um dos projetos que considero mais relevantes para a cena do rap no Brasil, por músicos e bandas como Planta e Raiz, bandas conceituadas e já consagradas no cenário musical brasileiro, com MCs que estão surgindo para mostrar seu talento, para mostrar como é a nova cara da música jovem no Brasil.

Pablo Martins (Foto: Débora Raphael)

“Pode Acreditar” também foi lançado no início desse mês e trata um pouco do tema do amor. O que os lavaram a entrar no gênero de love song?

(Risos). Cara, sei lá, eu acho que tem algumas hipóteses para essa questão. Acho que é de fácil identificação, todo mundo ama na vida em algum momento, então tipo, mais fácil se identificar, e o outro é que descreve o que a gente vive, o que a gente sente, então fica fácil de relatarmos coisas que sentimos por alguém. No caso de alguns dos compositores com suas namoradas ou pessoas que eles amam. É maneiro.

DoisP (Foto: Débora Raphael)

Em outubro também tivemos “Resistência” que ligou a uma reflexão sobre o sistema de minorias. Como é fazer esse tipo de canção?

Então, voltamos na questão das coisas que a gente vive e que a gente vê na nossa realidade, com pessoas que a gente conhece há muito tempo, e até lugares de onde viemos, por exemplo. A maioria dos MCs da 1Kilo são de São Gonçalo, que é um dos lugares do Rio de Janeiro onde isso é uma das coisas mais comuns e rotineiras de quem vive lá

Então é importante a gente lembrar, estarmos levantando essa bandeira para que não sejam esquecidos e que esse problema seja finalmente resolvido.

Knust (Foto: Debora Raphael)

O que os fãs podem esperar da 1Kilo esse ano e para o próximo?

Então, acredito que muitos lançamentos, muita variedade de estilo de som, mas sempre muito na essência da 1 Kilo que é a musicalidade. Focar na produção musical, na qualidade, e na simplicidade também dos MCs. A gente não vem de nenhuma realidade supérflua, a gente não vem de uma realidade que a gente não vive, então, mais disso. Mais acústicos, singles relatando versões diferentes do que estamos dispostos a fazer. Até o final desse ano, vai ter menos, mais ano que vem, eu posso garantir.