Vitor
(Vitor Novello) vem sofrendo se sentindo culpado depois da morte de
Jandira (Brenda Sabryna). Ele finalmente é levado à julgamento para
prestar esclarecimentos pela morte da moça. Madalena
(Denise Del Vecchio) e Zeca (Paulo Cesar Grande) assistem a audiência. O
juiz inicia o julgamento e Vitor confessa que convenceu Jandira a fazer
o aborto:

JUIZ                       
— Vitor, você confessou na delegacia, perante o delegado André
Medeiros, conforme depoimento constante nos autos, nas folhas dez e
onze, que convenceu
Jandira a fazer um aborto de um filho seu e a levou para realizar o
procedimento em uma clínica com péssimas condições de atendimento?

VITOR                    — Confessei.

Ele se diz culpado e pede para o juiz acabar logo:

VITOR                   
— Excelência, com todo respeito. Já disse tudo lá na delegacia. Eu sou
culpado e tenho que pagar. Vamos acabar logo com isso, por favor.

O
advogado do acusado pede uma pausa, mas Vitor se antecipa e pede para o
juiz prosseguir com o julgamento. Ele se diz responsável pela
destruição de quatro vidas:

JUIZ                        — Por que um rapaz encaminhado na vida, estudante de medicina, como você, cometeu um ato desses?

VITOR                   
— Por desespero, Excelência. Tive medo de arruinar o meu futuro por
causa de um filho. Eu sou pobre, tudo que tive na vida foi graças aos
patrões
da minha avó. Me apavorei e acabei destruindo quatro vidas!

JUIZ                        — Quatro?

VITOR                   
— Sim. A minha, da Jandira, do meu filho e da minha avó, que morreu de
desgosto quando soube o que eu fiz.

Vitor se vira para os pais de Jandira e pede perdão:

VITOR                   
— Sei que nunca vão me perdoar e que nada do que eu disser vai trazer a
filha de vocês de volta. Se pudesse, trocaria de lugar com a Jandira.
De verdade.
Ela não merecia o que eu fiz e vou me arrepender pelo resto da minha
vida. Perdão, dona Madalena, perdão Seu Zeca.

O juiz então lê a sentença e condena Vitor a mais de dois anos de prisão:

JUIZ                       
— Pela acusação de participação em crime de aborto e concurso de
pessoas, dispostos nos artigos cento e vinte e quatro combinado com
vinte do Código
Penal e homicídio culposo, tendo em vista que a conduta da vítima e do
réu causaram o resultado morte, artigo cento e vinte um, parágrafo
terceiro do Código Penal, condeno o réu, Vitor Menezes da Silva, ao
cumprimento da pena de dois anos e três meses, com
regime prisional inicialmente fechado, podendo ser convertido em
medidas sócio-educativas, após o cumprimento de um terço da referida
pena.

A cena está prevista para ir ao ar no capítulo
desta terça-feira, dia 08 de
outubro, a partir das 19h45.

Foto: Blad Meneghel/ Record TV

Luca Moreira Administrator
follow me