Mário Wamser traduz anseios modernos no álbum “Incertezão”

Em tempos de inquietude e desinformação, Mário Wamser mergulha fundo em questões humanas e abraça as próprias dúvidas em seu novo disco, “Incertezão”. O lançamento do selo Sagitta Records traz a lírica afiada do cantor e compositor mineiro radicado no Rio de Janeiro, acompanhado de músicos experientes e outros letristas de destaque nacional – entre eles, André Prando, Mihay, Mari Blue, Marco Lobo, Federico Puppi e banda Dônica, cujo vocalista, Zé Ibarra, também aparece no single “Um só”. O disco já está disponível para audição nas principais plataformas de streaming de música.

Wamser amplia a sonoridade apresentada nos singles “Embriagar em BH”, “Engole com angu” e “Um só”, onde explorava contradições, desdenhava de discursos saudosistas e se entregava ao escapismo. Sem desmerecer o passado e mirando na contemporaneidade, o artista entrega um álbum que é um produto de seu tempo. Ao longo de 14 canções, as letras passeiam por questões íntimas e universais, melancólicas e irônicas, refletindo o contexto social e político atual.

Ao olhar para o panorama da sociedade, Mário provoca contrapontos sem se propor dono da verdade. Após expor a mercantilização da fé (“Putrefato”), a superficialidade dos relacionamentos humanos (“Balada”), o fim do debate entre diferentes pólos políticos (“Vou Mitando”) e abusos psicológicos sofridos por mulheres (“Gaslight”), ele aceita o desconhecido e sentencia: nem tudo é como imaginamos.

“‘Incertezão’ é uma palavra inventada que vem trazer o sentido de uma grande incerteza, e ao mesmo tempo um tesão pela dúvida”, traduz Mário, que divide a produção do disco com o violoncelista Federico Puppi, indicado ao Grammy Latino pelo álbum “Guelã”, de Maria Gadú.

“Incertezão” vem para somar a uma trajetória já de destaque na música nacional. Após passar pela Bituca Universidade de Música, apadrinhada por Milton Nascimento, Wamser chamou atenção de artistas como Ivan Lins, Humberto Gessinger e Toninho Horta. Em 2014, o cantor e compositor lançou o disco de estreia, homônimo, em que explora as influências e sonoridades mineiras, com harmonias elaboradas.

Em 2017, no WebFest Valda, já apresentava a canção “Putrefato”, presente em “Incertezão”, com a qual recebeu diversos prêmios, entre eles o de Melhor Guitarrista e segundo lugar geral. A música foi escrita por ele e interpretada por Mari Blue (que ganhou a premiação na categoria Melhor Voz).

Atualmente, Mário Wamser trabalha como artista e produtor musical. Seu portfólio inclui nomes como Duda Brack, Elisa Fernandes, João Bernardo, Tuca Oliveira, Renato Piau, entre outros. Sua experiência como intérprete levou-o a participar ao lado de Duda Brack do tributo a Luiz Melodia no Circo Voador, ocasião em que dividiu o palco com artistas como Frejat, Alceu Valença, Elba Ramalho, Geraldo Azevedo, e outros. Sua parceria com Federico Puppi rendeu em 2018 a composição “Capitão do Mar”, que ganhou a voz de Milton Nascimento e foi lançada no disco de Puppi, “Marinheiro de Terra Firme”.

Outra parceria que ressurge em “Incertezão” é com André Prando. Após aparecer na faixa “Musa dos Cetáceos”, presente no álbum “Voador” lançado pelo artista capixaba no final de 2018, é a vez de Wamser convidar Prando em “Nada pra comemorar”, uma divertida ode ao ócio e à autopiedade.

Recebendo ainda a participação de instrumentistas convidados como Marco Lobo (percussão), Miguel Miguima (baixo), Lucas Nunes (sintetizador, guitarra) e Pedro Aristides (trombone), “Incertezão” é um álbum construído a muitas mãos que estabelece Mário Wamser como uma voz de frescor e inovação no cenário da nova MPB.

O disco é um lançamento Sagitta Records e já está disponível nas principais plataformas de música.