Punto e Filo apresenta novas peças durante DW!

A empresa Punto e Filo, referência em tapetes e tapeçarias no Brasil, convidou o Estúdio Lattoog, o designer italiano Giorgio Bonaguro, além do arquiteto Antonio Ferreira Jr. e dos designers Alfredo de Oliveira, Rodrigo Ohtake e Zanini de Zanini – grandes nomes do design nacional e internacional para dar forma às suas novas coleções que serão lançadas durante o DW! – festival urbano que tem o objetivo de promover a cultura do design e suas conexões com arquitetura, arte, decoração, urbanismo, inclusão social, negócios e inovação tecnológica, que acontece de 18 a 25 de agosto, em São Paulo.

Intitulada Paulioca, a proposta do conceito da coleção desenhada pela Lattoog encanta, sendo a fusão de dois dos maiores ícones dessas pulsantes cidades: Rio de Janeiro e São Paulo. Nesta série, a tradução de grafismos das cidades brasileiras fica aplicadas nos tapetes de um modo bem direto e homogêneo.

Com cinco tapetes, em uma mistura de formas geométricas e lineares, a coleção do designer Giorgio Bonaguro faz uma homenagem as obras do arquiteto italiano Carlo Scarpa, que foi muito influenciado pelos materiais, paisagem e história da cultura veneziana e do Japão. “Eu adoro o Brasil e lançar uma coleção neste país que sempre me acompanha é muito satisfatório. Foi um desafio para minha carreira trabalhar em um produto diferente dos que estou acostumado a fazer. Estou muito feliz com a parceria com a Punto e filo e ansioso para o resultado final”, conta o designer.

Mas, não para por aí. Pioneira no Brasil, a grife inova mais uma vez trazendo uma nova tecnologia na produção de seus tapetes: o ECONYL®. Produzido pela empresa Aquafil, a principal fabricante de fios para tapetes no mundo com a tecnologia, o ECONYL® é um inovador fio de nylon regenerado feito 100% do material residual. O sistema de regeneração começa com o resgate de resíduos, como redes de pesca, retalhos de tecido, pisos de carpetes e resíduos industriais de aterros sanitários e oceanos em todo o mundo, que será limpo para recuperar todo o nylon possível através de um processo radical de regeneração e purificação. Após a passagem por essa técnica, os resíduos de nylon voltam à sua pureza original, transformando-se em nylon virgem. “Com a produção desse fio, aproximadamente 45 mil toneladas de lixo por ano voltam a ser produtos 100% regenerados, sem qualquer perda de qualidade”, conta Marinho Pisaneschi, diretor da Punto e Filo.