Clodoaldo Silva fala sobre os Jogos Parapan-Americanos no programa No Mundo da Bola

O programa No Mundo da Bola recebe o ex-nadador paralímpico Clodoaldo Silva, o Tubarão das Piscinas, para uma conversa sobre os Jogos Parapan-Americanos nesta segunda (19), ao vivo, às 22h, na TV Brasil.

O multimedalhista traça um panorama sobre o esporte paralímpico brasileiro e analisa as expectativas para o rendimento dos atletas do país na disputa da competição que começa esta semana, no dia 23 de agosto, em Lima, no Peru.

Carismático, Clodoaldo Silva tem autoridade e prestígio para comentar sobre desempenho e performance em provas esportivas. Considerado um dos maiores campeões do movimento paralímpico brasileiro, o ex-nadador conquistou 14 medalhas em Jogos Paralímpicos, sendo 6 de ouro, 6 de prata e 2 de bronze.

Reverenciado como um dos principais nomes da natação paralímpica no país, ao lado de Daniel Dias, o ex-atleta acumula mais de 700 medalhas na carreira. Clodoaldo Silva foi o responsável por acender a Pira Paralímpica nos Jogos do Rio de Janeiro, em 2016, competição depois da qual se aposentou das piscinas.

O Brasil vai levar uma delegação recorde para representar o país nos Jogos Parapan-Americanos de Lima. O contingente reúne 512 integrantes, sendo 337 competidores, entre os quais atletas-guias, calheiros, goleiros e pilotos, que não possuem deficiência. São representantes de 23 estados e do Distrito Federal em 17 modalidades.

Esse número representa um acréscimo de 24% em relação ao time que ostentou o pavilhão nacional na última edição do Parapan, na cidade canadense de Toronto, em 2015, segundo o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB).

O Brasil busca repetir o feito dos três últimos jogos continentais. Desde 2007, quando a competição passou a ser realizada na mesma sede dos Jogos Pan-Americanos, os atletas brasileiros alcançam sempre o primeiro lugar no quadro geral de medalhas. Foi assim no Rio 2007, em Guadalajara 2011 e Toronto 2015. Neste último, o país trouxe para casa 257 medalhas, das quais, 109 de ouro, 74 de prata e 74 de bronze.

A responsabilidade dessa delegação de atletas paralímpicos em Lima é grande. Na edição 2019 dos Jogos Pan-Americanos, realizados entre julho e agosto na capital peruana, a equipe brasileira obteve o melhor resultado na história. O Time Brasil conquistou 171 medalhas e garantiu para o país o segundo lugar do quadro geral, com 55 de ouro, 45 de prata e 71 de bronze.

Sobre o programa

Sempre ao vivo, aos domingos, às 21h, com uma hora e meia de duração, e às segundas, às 22h, com uma hora, o No Mundo da Bola recebe convidados para uma conversa descontraída sobre os principais resultados esportivos da semana, com destaque para o futebol.

Apresentado por Sergio du Bocage com a participação do comentarista titular Marcio Guedes, a cada edição, o programa traz uma enquete que conta com a participação dos telespectadores e dos comentaristas. Às segundas, o jornalista Mauricio Costa se junta a essa seleção de craques da imprensa esportiva.

Em mais de 30 anos, o programa passou por mudanças. A atração surgiu como “Esporte Visão”. Depois, entre o fim da década de 1990 e o início dos anos 2000 passou a se chamar “Debate Esportivo”. Em curto período, teve o título de “Ataque” até que em 2002 volta ao nome original com redação diferente: “EsporTVisão”.

Pela bancada já passaram grandes nomes da resenha esportiva brasileira como os saudosos Luiz Mendes, o “comentarista da palavra fácil”; Achilles Chirol e Alberto Léo, além de profissionais como o ex-narrador Januário de Oliveira, atualmente aposentado, criador de vários bordões que estão na memória afetiva dos torcedores de futebol.

Desde 16 de junho de 2013, a atração entra no ar pela TV Brasil e é transmitida também pela Rádio Nacional como “No Mundo da Bola”. A expressão remete aos melhores tempos do radiojornalismo esportivo, pois é um dos programas mais tradicionais da emissora. O “No Mundo da Bola” foi criado em 1930, na Rádio Nacional, sob o comando do locutor esportivo Antônio Cordeiro.