O Instituto Ressurgir tem como objetivo dar suporte a mulheres carentes ou que lidaram com abuso em suas vidas. A idéia do Ressurgir nasceu em sua idealizadora, Andressa Prestes, quando ela mesma passou por uma situação de violência e não conseguiu a ajuda necessária.
“Eu acredito que tudo acontece em nossa vida por um prosósito, e daí surgiu o meu: ajudar outras mulheres e não deixar que a injustiça continue acontecendo”, conta Andressa. Ela ainda tem como sonho contribuir para mudanças significativas e transformar a dor em amor.
O Ressurgir começou como um projeto nas redes sociais, com o intuito de levar informações de prevenção contra abuso e cuidados para mulheres, mas em pouco tempo o alcance foi tanto que Andressa decidiu trabalhar mais ativamente com o Instituto, através de palestras e workshops.
Além da idealizadora, o Ressurgir também conta com a co-idealizadora e voluntária Raquel de Camargo, psicóloga, que acredita nos espaços de diálogo e aprendizagem como fundamentais para enfrentamento da violência e da vulnerabilidade social.
Ambas promovem palestras e workshops em eventos sociais e instituições. No momento, apóiam outros Institutos físicos que travam a mesma batalha de cunho social e também contam com outros apoiadores ao próprio Ressurgir, como o Instituto Embelleze, porém, o único patrocinador oficial é a Liberdade de Escolha, empresa especializada em serviços de telefonia, onde a Andressa é diretora. 
A idealizadora conta também que o foco do Instituto é dar suporte para as mulheres renascerem após os abusos, conseguirem seguir com a vida e se reerguerem pois, há sim, vida após abuso. “É por isso que nosso símbolo é uma fênix”, acrescenta.
“Nos preocupamos em falar sobre prevenção, sobre a importância de saber quais são os sinais, e também sobre superação e empreendedorismo, para que as mulheres possam continuar. Nosso sonho é poder levar isso para as escolas, para crianças e jovens e também para os que não tem acesso a esse tipo de ajuda, além de crescer através das mídias sociais, afinal, a internet é o meio mais rápido de se conseguir informação”, relata Andressa.
Hoje em dia, o Instituto Ressurgir tem parcerias com outros veículos nas redes sociais que tem o mesmo objetivo e se mostrou pela primeira vez, de forma física, em um evento para mães de autistas promovido pelos institutos Bene e Anjo Azul, a quem o Ressurgir apoia.