Formada em jornalismo, publicidade, teatro e letras , Adriana Tolentino está cursando agora filosofia. Ela já faz parte da equipe Shoptime há 13 anos, chegando a comandar também o “Prime Time”, um programa que ficou no ar por 10 anos.

Está apresentando atualmente o programa ‘Cozinha Completa’, onde dá dicas de como transformar nossa cozinha num lugar super preparado para executar as melhores receitas, desde os pequenos utensílios domésticos aos eletrodomésticos.

Você está no ar com o programa “Cozinha Completa” no Shoptime. Como começou a sua experiência como apresentadora?

Na minha carreira de atriz tive a oportunidade de apresentar eventos e espetáculos, mas foi por meio do canal que comecei esse ofício de apresentar diariamente na TV e de falar diretamente com a câmera. Olhando para trás, observo que todas as minhas experiências me prepararam para ser apresentadora. Minha formação e prática como jornalista, publicitária e atriz, tudo me levou e me preparou para o Shoptime, onde estou há treze anos.

Ficando no ar durante 10 anos, sente saudades da época do “Prime Time”?

O ‘Prime Time’ era um programa diário no Shoptime, onde todos os departamentos se misturavam e as ofertas eram apresentadas com muita descontração e bom humor. Sei, por meio dos nossos clientes, que o programa deixou muita saudade. Ao longo desses treze anos no canal, nós passamos por muitas mudanças, assim como no programa ‘Vida Prática’, que apresentei com a Renata Pitanga, e que foi pioneiro na interação pela internet. Todas essas mudanças sempre tiveram como objetivo uma interação cada vez maior com o nosso público.

Foto: Saulo Soares

Qual foi sua inspiração para montar o projeto “Livro Vivo”?

Em 2000, nasceu o Projeto ‘Livro Vivo’, com o objetivo de estimular a leitura através das adaptações de clássicos da literatura brasileira para o teatro. A professora de literatura Catarina Schumann é a idealizadora e responsável pelas adaptações. Fazer parte desse trabalho é uma das grandes satisfações da minha carreira. Eu pude colocar o meu amor pelo teatro a serviço de um trabalho social, o qual acredito muito, e que já provou sua relevância e repercussão em quase vinte anos, levando espetáculos para mais de 30.000 alunos das redes estadual, municipal e particular de ensino. Foi por meio desse projeto que conheci a Renata Pitanga, quando a dirigi em “A Mão e a Luva”, de Machado de Assis. Pouco depois, ela me indicou para um teste no Shoptime.

O que te fez escolher seguir pelo campo da filosofia como sua formação?

Já estava há alguns anos no Shoptime, quando senti a necessidade de continuar a estudar. Fiz uma pós-graduação em teatro musical, na universidade UniRio, depois fiz letras e me formei no ano passado. Em seguida, comecei o curso de filosofia. Acho que viciei… não paro mais (Risos).

Além da televisão, você também tem um passado pelos teatros, existem planos para um retorno aos palcos?

A Companhia ‘Livro Vivo’ ainda está na ativa. Neste ano, retomamos os trabalhos e estamos estudando alguns textos de Machado de Assis para encenarmos no segundo semestre.

Deixe uma mensagem para os leitores

Nós somos a soma de nossas experiências e interesses. O que a gente aprende e vive se reflete em tudo que a gente faz. Por isso, quero continuar nesse caminho para enriquecer cada vez mais as minhas apresentações e a minha vida. Obrigada pelo carinho de todos!