Rebeca une indie pop, MPB e experimental em álbum de estreia “Corar”

Entre camadas de eletrônicos e loops vocais, surgem tons de R&B, MPB e indie pop num ambiente atmosférico para falar de amores, desejos e inseguranças cotidianas. Esse é o tom da estreia da cantora e compositora Rebeca, que lança seu debut “Corar”. O álbum, que conta com a participação de Rubel, já está disponível nas plataformas de música digital via MangoLab.

Nascida e criada em Niterói, Rebeca carrega em sua voz a personalidade única somada a uma doçura capaz de unir a cena da nova MPB e o hip hop e surpreender ouvintes. Foi assim com os jurados do The Voice Brasil, com o público da banda Oriente (onde participa do hit “Linda Louca e Mimada”, entre outros sucessos), nos vídeos acústicos com a Barcamundi e também com o público da banda Gragoatá. A força de Rebeca sozinha, que encantou as pessoas que viram seu trabalho com outros grupos, vai ser posta à prova no disco solo.

“Sempre quis fazer um disco solo, explorar um som que fizesse parte de mim, onde eu poderia sintetizar meus pensamentos e melodias que criava. O processo criativo do disco foi um baita exercício de autoconhecimento, porque eu pude descobrir outros papéis antes não explorados. Sempre me vi como intérprete, e nesse caso, pude exercitar os processos de composição, arranjo e produção. R&B é um estilo que eu gosto muito, por isso a vontade de incorporá-lo na estética do disco. Mas como eu já tinha participado de outros projetos e vivências, trouxe outros elementos tão relevantes pra mim quanto, vindos da MPB e da música indie”, conta.

Rebeca começou a compor trocando poemas e melodias com Ana Beatriz Brêtas, que acabaram virando músicas do disco, como “Fantasia” e “Louro”. Daí, outras parcerias com seus demais amigos músicos surgiram, principalmente com João Barreira, que assina 5 faixas no álbum, como “Cinema Norte Americano” e “Corar”, lançadas como singles. Além disso, seus parceiros da banda Gragoatá, Fanner Horta e Renato Côrtes, também assinam composições do disco.