Cera quente é a melhor opção para depilar no inverno

A pouca exposição de algumas partes do corpo durante os meses mais frios do ano faz com que muitas pessoas alterem o hábito de se depilar durante o inverno. A interrupção dessa rotina, principalmente quando ocorre a remoção do pelo pela raiz, pode não ser benéfica para os procedimentos futuros. Segundo Regina Jordão, CEO e fundadora do Instituto Pello Menos, especializado em depilação feminina à cera, a falta do hábito pode interferir na espessura do pelo, que tende a engrossar e deixar o processo ainda mais doloroso.

Para não perder o costume nessa época, vale buscar o meio mais eficaz, sendo a cera quente a que mais beneficia a pele. Como o tempo frio diminui os poros e dificulta a retirada dos pelos, a temperatura quente desse produto age para a dilatação do bulbo capilar, removendo o pelo com mais facilidade e menos dor. “O método é o mais recomendado no inverno, pois a cera quente ajuda a remoção dos pelos e diminui as dores do procedimento. Além disso, ela também evita o surgimento de manchas no corpo”, completa Regina.

Outra vantagem da utilização da cera é que, com o tempo mais frio, as irritações na pele são evitadas. Elas são bastante comuns no calor, por conta do suor, mas no inverno a pele tem menos predisposição a coceiras e outras irritações, esclarece a especialista. Embora o sol não se faça muito presente na estação, o uso do protetor solar continua indispensável, uma vez que, independente da época, a incidência dos raios UVA e UVB permanece praticamente a mesma e as áreas depiladas que ficam expostas devem ser protegidas.

“É importante lembrar que a esfoliação também ajuda na remoção dos pelos, então, deve ser feita regularmente. Já a hidratação, tão essencial em qualquer época do ano, é ainda mais necessária no inverno, visto que a falta de umidade típica da época prejudica a pele, dificultando o processo depilatório”, afirma a CEO.