Minimize os efeitos da fibromialgia com exercícios de pilates

A fibromialgia é uma doença reumática e dolorosa que acomete em sua maioria mulheres, na faixa etária entre 30 e os 60 anos. Apesar de não haver conhecimento de suas causas, existem fatores que frequentemente estão ligados a ela, como os genéticos, as infecções por vírus autoimune e traumas físicos. Além disso, pessoas com doenças reumáticas e com pré-disposição as doenças hereditárias também podem ser considerados alvos da fibromialgia.

Seu diagnóstico é complexo e muitas vezes, confundido com outras doenças, tanto reumáticas como não reumáticas e como ela pode atingir indivíduos de qualquer grupo, sejam saudáveis ou sedentários, fica mais difícil ainda. Geralmente os sintomas são sentidos além de próximo às articulações, nas nádegas e coluna (torácica e cervical).  “Dores por todo o corpo durante longos períodos de tempo, sensibilidade nas articulações e nos músculos, fadiga, dificuldade para dormir e dores fortes de cabeça são alguns sintomas causados por essa síndrome crônica” – explica Ana Luísa Marçal, fisioterapeuta e diretoria do Instituto Pilates.

Além disso, como ela afeta a capacidade motora e cognitiva do indivíduo, suas consequências podem ir além das dores físicas e contribuir para o desenvolvimento de doenças psicológicas, como a depressão e a ansiedade (devido a dificuldade de se movimentar e se concentrar). Por isso, o tratamento precisa ser realizado de maneira integrada atingindo todas as áreas.

Uma delas tem foco na qualidade de vida e longevidade; e visa melhorar além da parte física, a emocional e pode ser conquistada através de aulas de Pilates. Realizando exercícios de baixo impacto, o Pilates atua no fortalecimento do músculo, retoma o equilíbrio e a coordenação. Além de auxiliar na correção postural, na circulação e oxigenação das fibras musculares e na preservação da flexibilidade. “Como parte do tratamento posso afirmar que através do Pilates, trabalhamos diversas desordens musculoesqueléticas e emocional, trazendo de volta a qualidade de vida do paciente diagnosticado com uma doença sem cura” – explica.

Sobre a profissional: Ana Luísa Marçal é fisioterapeuta (127.346F) e sócia proprietária da Unidade de Guarulhos do Instituto Pilates. Possui formação em Pilates solo e aparelhos para patologias da coluna e estabilização segmentar vertebral; além de especialização em fisioterapia Neurofuncional pela Irmandade Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Saiba mais em: www.instpilates.com.br