Maria Clara Rolim fala sobre a série “Encontro”

Além de proprietária da Linha Produções, produtora de audiovisual independente do Rio de Janeiro, a atriz Maria Clara Rolim viverá a protagonista Mariana na próxima websérie da empresa. O projeto intitulado de “Encontro” com lançamento previsto para ainda esse ano, busca revelar, por meio de uma história com representatividade LGBTQ+, os 7 tipos de amores e as diferentes formas de como eles são vividos.

Como surgiu o convite para protagonizar “Encontro”?

A vontade de atuar sempre esteve presente e Thaiane sabia disso, eu sou atriz há 7 anos e me formei em Artes Cênicas na CAL em 2017, mas por conta da falta de mão de obra nas produções, eu quanto sócia da produtora, tive que abrir mão de atuar para poder produzir e assumir outras funções na produtora como seleção e preparação de elenco, operação de áudio e produção conjunta com Thaiane de modo geral, busca de locações, organização de agenda da equipe, logística de gravação, seleção de equipe técnica e todos os aspectos necessários para uma produção audiovisual poder acontecer. Quando conseguimos adquirir equipamentos e relativamente mais pessoas para compor a equipe técnica, foi possível de me colocar para atuar em um produto. Thaiane viu a oportunidade de me colocar, tanto em termos de produção e também pelo perfil da personagem, e então ganhei esse presente que foi Mariana, tendo a honra de protagonizar Encontro.

Qual a história da DJ Mariana? O que você já pode contar pra gente?

A meu ver, Mariana é uma jovem DJ que sonha com uma carreira sólida na música! Ela é muito criativa, e de um tempo pra cá vem tentando focar em seu trabalho, produzir conteúdo novo com objetivo de tirar o seu sustento do que ela ama fazer. Só que a vida pessoal dela está um pouco bagunçada, não que isso impeça ela de trabalhar, mas psicologicamente ela não está num momento fácil. Ela vive em um cenário amoroso um tanto movimentado haha ela tem essa vontade de viver intensamente e de viver todos os tipos de amores, eu diria que ela é uma mulher forte e corajosa, e ao mesmo tempo um pouco inconsequente mas muito sentimental, ela se preocupa com os outros, mas as coisas começam a sair do seu controle, e ela precisa entender que não se pode ter tudo – acho que essa foi uma opinião pessoal da Maria Clara hahaha e acho que se eu falar mais do que isso vou acabar dando spoiler.

Foto: Divulgação

Como foram as preparações para a personagem?

Tivemos alguns encontros de preparação, acho que eu tive 4 dias inteiros de manha tarde e noite, por fazer parte de quase todos os núcleos da história, outros atores tiveram menos dias. E nesses encontros de preparação nós conversamos muito sobre as personagens e as respectivas relações entre elas, e com isso fomos construindo nosso passado, nosso presente, nossas inseguranças, nossos trejeitos, gostos, sentimentos de modo geral. E foi aí que eu, particularmente, consegui construir os diferentes olhares para os diferentes amores de Mariana. Também tivemos a parte prática com cenas de improviso, onde Thaiane nos colocava em situações, lugares e contextos, e tínhamos que atuar quanto personagem de acordo com o que foi proposto. E também exercícios de sensibilidade, toque, olhares, e com música também, para podermos criar essa intimidade entre os atores para construir a relação entre as personagens. A preparação não foi toda coletiva, tivemos um dia de leitura com todos do elenco, e depois nos dividimos em núcleos reduzidos para dar atenção na construção particular dessas relações. Foram encontros muito bons, de muita discussão e muita entrega, foi lindo!

Foto: Divulgação

Quais os desafios encontrados durante as preparações ou gravações?

Acho que o elenco todo se deu muito bem logo de cara, estávamos todos muito interessados pelo projeto, que nos cativou pela história, então o clima estava muito bom, eu particularmente desenvolvi um carinho muito grande por essa galera, porque é incrível como eles se jogaram em uma produção independente sem grana nenhuma, e com tanta alegria e com um sorriso no rosto, então pra mim isso foi muito gratificante. Eu sou muito grata a cada um que se dispôs pra fazer Encontro acontecer, desde elenco a equipe técnica.

As dificuldades de modo geral acho que giraram em torno da dificuldade particular de cada um com alguma construção de personagem ou possivelmente com alguma cena em si. Acho que todo processo envolve desafios e muito aprendizado. Durante as gravações muitos desafios tiveram que ser enfrentados, é uma produção sem grana, precisamos fornecer alimentação da galera do set, dependemos da boa vontade das locações em ceder espaços, da disponibilidade de muitas pessoas envolvidas (elenco + equipe), dependemos até do clima do Rio de Janeiro haha tudo muda se faz sol, chuva, se tem luz etc.

Pudemos contar com a doação de uma cesta básica que um dos atores conseguiu (Gustavo), e assim foi possível alimentar a galera no set por alguns dias, e o restante acabamos tendo que complementar. A logística de horários também é um desafio, as pessoas trabalham, estudam, infelizmente não estamos naquele nível de abrir mão de tudo só para gravar haha quem me dera, mas ninguém tá ganhando cache, o que dificulta exigir uma prioridade só para as gravações. Tivemos histórias também de chegar para gravar em uma locação e essa locação cancelar com a gente na hora e não deixar mais gravar, quando todos já tinham se mobilizado para ir até lá, e era uma gravação noturna, foi foda haha mas acabamos dando um jeito, entrei em contato com amigos meus que puderam nos salvar de última hora conseguindo uma outra locação ali para aquele momento, demos muita sorte também, inclusive gratidão!

Foto: Divulgação

O que a Maria Clara tem em comum com a Mariana? E o que elas têm de diferente?

Em comum com Mariana, acho que a intensidade nos amores e pela vida haha Maria Clara é intensa, até demais, mas eu vou culpar o signo haha eu acho que a nossa garra de lutar pelos sonhos e em realizar as coisas é comum também, essa determinação. A preocupação com as pessoas a sua volta também, apesar de eu achar Mariana um pouco mais inconsequente do que eu, por viver essa situação que ela vive (que eu não posso revelar ainda), eu não sei se eu conseguira haha de diferente temos isso, eu não conseguia estar na pele dela, mas vejo que isso aconteceu porque as coisas saíram do controle. Eu acho Mariana mais aberta para o mundo, com um coração gigante capaz de cultivar muitos amores, e eu particularmente não tive muitos amores, apesar de intensos, foram poucas pessoas que me despertaram esse sentimento.

Se pudesse dar um conselho para a Mariana, o que falaria?

Tenha calma e não se cobre tanto em relação à sua carreira, com foco e dedicação naturalmente as coisas vão acontecer, acredite no seu potencial! Acalma esse coração, não se pode ter tudo, não coloque suas vontades acima de tudo e de todos, as coisas podem acabar machucando alguém, e não é isso que você quer. Viver intensamente tem que ser de forma saudável, para você e para as pessoas a sua volta, cuidado nessa jornada. E boa sorte, conta comigo hahaha vamos organizar essa bagunça!

Foto: Divulgação

Você é uma das sócias da Linha Produções. Como foi protagonizar o projeto da sua própria produtora?

Foi muito doido. Eu queria uma personagem e me veio A personagem protagonista coisa mais linda! Até hoje fico pensando na confiança que Thaiane teve em mim e no meu trabalho, ela sempre vê mais potencial em mim do que eu mesma haha grata por isso! Claro que eu não consegui só atuar haha tive que ajudar a produzir, apesar de Thaiane ter tomado a maior parte das responsabilidades para ela no processo de pré produção, nós continuamos conectadas com a produção durante as gravações exercendo sempre mais de uma função no set. E claro que o peso e o carinho por protagonizar um projeto da minha produtora são enormes, você sendo uma das donas quer que tudo saia perfeito! É muito muito cuidado e amor envolvido!

Você participou também do processo de produção e pós produção da série, certo? Como foi conciliar a produção com a atuação?

Sim! Em alguns momentos foi difícil conciliar com a atuação, em termos psicológicos de concentração em algumas cenas mesmo, ou por ter feito alguma outra função antes de entrar em cena ou por estar preocupa com alguma coisa da produção, como se a comida deu certo, se vamos conseguir liberar a locação na hora, se nos intervalos colocamos a bateria da câmera para gravar, entre outros detalhes haha mas no geral deu tudo muito certo! Quanto ao processo de pós produção, eu estou participando do processo de edição, eu que estou montando a série, seleção de cenas, cortes, dinâmica, que basicamente decide o ritmo da série, e está sendo bem desafiador. Tudo que faço depois mostro para Thaiane opinar e validar, e estou aprendendo muito! Descobri na edição um amor pela área! Além de aprender técnicas de edição, aprendi muito sobre atuação, momentos de dar fala, maior noção de câmera e como se posicionar para se valorizar para a câmera, muitos detalhes fazem toda a diferença, e com certeza esse outro olhar e essas novas noções, agora como montadora no processo de edição, me agregaram muito!

Foto: Divulgação

E o que o público pode esperar de “Encontro” e da Mariana?

O público pode esperar muita inconstância haha Mariana surpreende a todo momento, até mesmo a mim! É uma personagem que dificilmente o público vai saber o que ela está pensando, o que ela quer, o que não quer, quando quer. Acho que essa falta de controle do que se passa na cabeça da personagem, vai estimular, instigar, irritar, emocionar o público. Viver 1 amor já é difícil, agora imagina 7!

Acho que o público pode esperar de “Encontro” uma websérie dinâmica, divertida, amorosa, que provoca reflexão e uma mistura de sentimentos, uma variação entre identificação e revolta. A história está muito gostosa de ser contada e assistida, até então eu não vi nada do tipo sendo produzido.