Clássico de Franz Kafka ganha nova edição no Brasil

Lançado originalmente em 1915 e um dos poucos trabalhos de Franz Kafka publicados em vida, A metamorfose, um dos mais importantes e difundidos textos da literatura mundial, é agora porta de entrada da Antofágica, editora recém-lançada, que nasceu com o intuito de apresentar obras clássicas de forma inovadora, acompanhadas por intervenções artísticas e vozes contemporâneas, que visam aproximar o leitor (especialmente o mais jovem) de títulos consagrados, que muitas vezes são considerados inalcançáveis ou apresentados dessa forma.

Mesmo com poucas obras publicadas em vida, Franz Kafka está entre os maiores escritores de todos os tempos. Sua influência atravessa o século XX e o mundo sombrio retratado em seus livros aparece em muitas narrativas modernas, seja em séries de TV, músicas ou em obras de artes plásticas, tornando o escritor um dos pilares da cultura pop contemporânea. Vários de seus textos já foram adaptados para o cinema e sua competência de explorar realidades múltiplas transcende suas narrativas. A metamorfose é uma de suas obras mais aclamadas, que inspirou diversas criações ao longo dos anos, e é presença constante em produções atuais, como conta o vídeo publicado no canal da Antofágica no Youtube.

Esta nova edição possui tradução inédita, feita diretamente do alemão, por Petê Rissatti – que assina também textos vertidos de Stefan Zweig, Karl Marx, Friedrich Dürrenmatt e Kurt Vonnegut; introdução de Otávio Albuquerque – cientista social e produtor de conteúdo no canal Coisas que nunca vivi (ou evitava viver); ensaio de Flavio Ricardo Vassoler – doutor em literatura comparada – sobre a contemporaneidade de Kafka; e uma impressionante contribuição do multiartista Lourenço Mutarelli, que criou 93 ilustrações exclusivas para este lançamento, além de assinar o posfácio:

“A metamorfose despertou algo ancestral em meu ser. Algo maior do que eu. Desde então, esse passou a ser para mim o livro mais simbólico de todos. Havia uma identidade absoluta. Gregor Samsa representava meus sentimentos, principalmente na época em que li sua história pela primeira vez, tão precisamente. Costumo dizer que, na época, eu tinha ciúme de que alguém lesse este livro. Este livro era meu. Me revelava, me expunha e desmascarava.”  – Lourenço Mutarelli

A expertise do time de convidados e o ilustre trabalho artístico de Mutarelli se unem à capa de Pedro Inoue – designer gráfico que tem no portfólio clientes como David Bowie, Damien Hirst e Criolo – para juntos transformarem esta edição da Antofágica em uma obra única, capaz de oferecer uma experiência ímpar e inovadora até para o leitor que já é familiarizado com a história.

“Criar uma edição que dialoga com um novo leitor foi o intuito deste primeiro lançamento da editora. A nova tradução, somada aos textos, à estética e à estratégia de conversa no mundo digital faz com que o livro seja parte de uma lógica maior de consumo de histórias e tira o clássico de um local inalcançável.”  – Daniel Lameira, publisher da Antofágica

Quando Gregor Samsa, certa manhã, acordou de sonhos intranquilos, tudo mudou. Não só em sua vida, mas no mundo. Ao se encontrar metamorfoseado em um inseto monstruoso, Gregor acompanha as reações de sua família ao perceber o estranho ser que se tornou. Enquanto luta para se manter vivo e entender a sua nova realidade, o personagem reflete sobre o comportamento de seus pais, de sua irmã e de seu chefe, e, de forma ainda mais angustiante, pensa na própria vida até então.

Fonte: Ester Vitkauskas