OA propõe um mergulho em sua natureza no single de estreia “Céu 1”

Uma construção musical atmosférica, que dialoga com a subjetividade em busca das sensações que as canções geram, marca o projeto OA. Com um trabalho visual conceitual que traz os sentimentos e impressões e sentimentos do ouvinte para somar como parte da construção artística, a estreia é com o single e clipe “Céu 1”. O registro une imagens da natureza e dança. A faixa está disponível nas plataformas de música digital.

O vídeo, gravado na região de São Luiz do Purunã, se divide entre imagens em meio à paisagem e no Campo das Artes, uma residência e espaço para produção artística criada pelo ator Luís Melo. Sobre as imagens, dividindo espaço na melodia, a bailarina Andréa Barbour se apresenta.

Criado, performado e dirigido pelo multi-artista curitibano Raphael Moraes, OA funciona como uma amostra da amplitude do trabalho do paranaense. Moraes, que além de músico é diretor audiovisual, produziu e dirigiu os vídeos do projeto.

A inspiração do nome OA veio de um livro autobiográfico escrito por Santos Dumont. Em “Meus Balões”, o aviador e inventor contrapõe a noção de que o que voa é mais pesado que o ar com a constatação de que havia feito um navio voar no céu. Das ideias de densidade e leveza, aparentemente opostas, surgiu a metáfora ideal para o novo projeto. Inicialmente batizado de “O mais leve que o Ar”, passou para “O AR” e se tornou apenas “OA”.

Ele começou a ser construído em 2016, com composições de Moraes, que desde o início já pensava em ter um nome para o projeto que oferecesse mais amplitude que somente sua própria imagem e pessoa. Entre 2017 e 2018, o álbum foi gravado, produzido e masterizado com calma e cuidado. Para apresentar o projeto, serão lançados três singles acompanhados por videoclipes, além do já disponível “Céu 1”. O álbum de estreia está previsto para junho.

Fonte: BulidUp Media