5 Perguntas sobre alimentação e doenças sistêmicas

Aos poucos os brasileiros estão tendo maior consciência sobre os benefícios que uma alimentação balanceada traz para a saúde, contribuindo na prevenção e controle de doenças que afetam todo o organismo como diabetes, hipertensão e problemas cardiovasculares.

Porém, de acordo com Cyntia Maureen, nutricionista e consultora da Superbom, empresa alimentícia especializada na fabricação de produtos saudáveis, ainda há muitas dúvidas sobre como escolher diariamente alimentos que ajudam a manter a saúde. Para ajudar a esclarecer o assunto, a nutricionista responde abaixo algumas perguntas:

O que significa adotar uma alimentação equilibrada no dia a dia?

Diariamente, cada indivíduo precisa ingerir uma determinada quantidade de nutrientes para manter o bom funcionamento do corpo. Por isso, reduzir ou aumentar a quantidade de alimento ingerido, pular refeições ou adotar dietas sem acompanhamento do nutricionista nem sempre é sinônimo de saúde. “Uma alimentação equilibrada deve basear-se em alimentos minimamente processados, ou seja, quanto mais natural melhor. A qualidade dos alimentos e sua variedade também são pontos de grande relevância. Se trata ainda de consumir as refeições em horários regulares e de forma moderada”, explica.

Quais são os vilões responsáveis pelo desenvolvimento de doenças sistêmicas?

Sal, açúcar e óleos em excesso continuam sendo prejudiciais à saúde a curto e longo prazo. A nutricionista explica que o problema dessas substâncias no organismo está em consumi-los em uma quantidade exacerbada. Em alimentos industrializados, por exemplo, não é necessário adoçar produtos que já são adoçados. No caso dos óleos de girassol, de milho e outros utilizados em receitas também é importante dosar a quantidade colocada, optando sempre que possível por assar os alimentos a fritá-los. Em muitas preparações, o uso de óleos pode até ser dispensado. Temperos prontos também merecem atenção porque normalmente já vem com muito sódio em sua composição, devendo ser evitados quando falamos em uma alimentação saudável.

Existe alguma refeição mais importante que a outra?

Não. Todas as refeições do dia têm sua importância para a saúde, se obedecida a ingestão de nutrientes necessários em cada uma. No café da manhã, por exemplo, é importante incluir cereais integrais, frutas ou sucos (raramente) e castanhas, porque são alimentos com fontes de energia, vitaminas e fibras alimentares que quebrarão o jejum de uma noite inteira preparando o corpo para as atividades iniciais do dia. Já no almoço, o prato também deve conter nutrientes como proteínas, carboidratos, vitaminas e gorduras boas, porém, em quantidades moderadas, apenas para completar a necessidade energética do dia. O jantar pode seguir a mesma regra do almoço, porém em menor quantidade, devendo esta ser a refeição mais leve do dia.

Por que manter uma rotina na alimentação?

Comer regularmente, em horários pré-estabelecidos, ajuda o cérebro a se acostumar com o momento certo de comer, garantindo maior saciedade em todas as refeições e evitando o consumo de doces, biscoitos e salgadinhos, fontes de açúcar e sódio em excesso. “Além disso, comer em horários desregrados prejudica o metabolismo dos nutrientes”, pontua.

Como começar a ter uma alimentação mais equilibrada?

A especialista esclarece que caso a pessoa esteja acima do peso e já apresente sinais de glicose, colesterol alto ou qualquer outro sintoma é essencial procurar ajuda médica para ter a orientação correta. “Porém, para a população geral, deve-se levar em conta que a prevenção é de grande importância para o nosso bem-estar. Faça substituições progressivas. Troque os produtos alimentares por opções mais saudáveis aos poucos, permitindo que o organismo se adapte ao novo hábito alimentar. Esteja atento aos sinais que o seu corpo emite e procure o auxílio médico quando necessário para manter a saúde em dia”, conclui.

Fonte: Dezoito Comunicação