Carbônica une rock de garagem e realidade política brasileira em álbum de estreia

Incendiar o debate político e social por meio do rock ‘n roll é um dos objetivos do power trio Carbônica. Com mais de 10 anos de estrada, a banda celebra sua jornada com um álbum que analisa os últimos anos da realidade brasileira e foca no futuro através de riffs poderosos e letras provocadoras. “Carbônica” já está disponível nas plataformas de música digital.

Fundado em 2007 na cidade de Guarulhos, o trio é formado atualmente por Will (guitarra e vocal), Vini (baixo e sampler) e Alex (bateria) e, desde o início da sua trajetória, assumiu o compromisso com uma cena independente ativa e acessível, mantendo um olhar para a realidade urbana e periférica que reflete nas letras do disco.

Luta antifacista, problemas de manutenção das barragens de mineradoras, respeito a minorias e busca por uma cidade mais acessível se tornaram bandeiras da banda e se mostram mais atuais do que nunca no álbum de estreia, que reúne faixas dos EPs lançados nos últimos anos e cinco músicas inéditas. Tudo isso embalado por uma roupagem que vai do disco-punk ao drum and bass, do blues ao garage.

“Nós acabamos de completar 10 anos de estrada e as 10 músicas desse álbum são o retrato dessa trajetória, que é fazer rock com tesão, se divertir e expor nossas verdades através do nosso trabalho artístico”, conta o guitarrista e vocalista Will.

Ao lado de outras bandas de Guarulhos, o Carbônica fundou o Projeto CLAM, que agora atua também como produtora e selo musical. A partir de 2009, passaram a realizar intervenções culturais em espaços urbanos, conhecidas como CLAMdestino. A apropriação artística e coletiva já passou por vários locais de São Paulo, sempre levando música, fomentando e difundindo com atitude a cultura rock.

Essas apresentações foram o combustível para o primeiro EP da banda, “Rock Puro e Sem Gelo” (2012). O trabalho trazia no título a filosofia do Carbônica e, na produção, a assinatura do californiano Brendan Duffey. Dois anos depois, o trio tinha conquistado uma base de fãs e experiência suficiente para garantir a produção de seu segundo EP, “Inflamável”. Após uma bem sucedida campanha de financiamento coletivo, foram arrecadados 114% da verba necessária. O compacto conta com quatro músicas gravadas e mixadas pelo próprio baterista da banda no Estúdio Casa CLAM e masterizadas por Brendan Duffey.

“Tivemos experiências bem bacanas nesse processo de gravações em vários estúdios e com vários artistas. No Norcal Studios tivemos a oportunidade de gravar com um californiano que já trabalhou com gente de peso da gringa e com quem aprendemos muito. E na Casa CLAM foi a hora de colocar na prática as coisas que acreditamos. Por lá, montamos um estúdio e criamos nosso selo CLAM Discos, onde também começamos a produzir e lançar outros artistas”, conta Will.

O segundo EP abriu as portas uma turnê pelo nordeste em 2015. Na passagem por Natal (RN), o som do Carbônica chamou atenção de Anderson Foca, fundador do renomado Festival DoSol e músico das bandas Camarones Orquestra Guitarrística, Orquestra Greiosa e Fetuttines, que convidou o trio a gravar o sucessor de “Inflamável” no estúdio DoSol com Yves Fernandes, que também é baterista da Camarones. “TR3S” foi lançado pelo selo DoSol e já demonstrava a evolução sonora da banda.

Fonte: BulidUp Media

Deixe um comentário