Tempo de leitura: 3 minutos

Desde a época do escambo, a forma de como as pessoas obtinham mercadorias e faziam compras já começava a passar por transformações. Foram muitos estágios para que conseguíssemos chegar à moeda e muito mais aos bitcoins, que tanta gente ainda não sabe como funciona. A novidade é de que na última década, uma nova forma também vem nascendo e dessa vez quem as comanda não é nem uma instituição financeira, são eles, os “gigantes da rede”: os influenciadores digitais.

Apesar do sucesso incontestável deles e o retorno que todos sabemos que possuem em suas vidas, por muitos, esse trabalho ainda não recebeu o título de profissão. A verdade é que a cada dia, mês e ano, todos os aspectos de nossas vidas estão em constante evolução. Estamos em um mundo onde o tradicionalismo está sendo substituído como vez mais pelas novidades. Esse fenômeno, se é que podemos chama-lo assim, está acontecendo desde que o mundo percebeu que existiam coisas e artifícios que poderiam ajudar a mudar nossas vidas para melhor. É incontestável que em uma sociedade como a que vivemos atualmente, seus componentes estão sempre em busca de melhorarem sua qualidade de vida. Reflitam a seguinte situação, a questão dos influenciadores está relacionada à aceitação da própria mídia, que apesar de terem métodos com anos de idade, ainda sofrem massacre da população.

Nos dias atuais, as profissões que não são realizadas em escritórios, consultórios ou mesmo aquelas que não se precise sair de casa para que os profissionais possam realizar seus ofícios estão sendo banalizadas por não ser aquilo que nossos antepassados estavam acostumados.

Mostrando seus verdadeiros “valores”:

Eles estão realmente jogando na cara… sim, os influenciadores estão cada dia mais conseguindo convencer as pessoas que é possível conviver muito bem com as novidades no mundo de trabalho. Um dos maiores produtos que esses profissionais estão oferecendo de maneira orgânica e que tem mostrado resultado é a divulgação. Desde a invenção do clássico outdoor em julho de 1791, quando nascerem seus primeiros conceitos, a publicidade foi sendo o objeto de desejo de muitas pessoas. O processo de divulgação, como fomos testemunhas, foi crescendo pelas rádios comunitárias, anúncios clássicos na televisão, as primeiras publicidades na rede, ainda mais com os avanços da Google para promovê-los, e hoje, eles vieram para as redes sociais. Conquistando determinados nichos de público, os influenciadores estão sendo integrantes importantes dessa transformação. A minha opinião à respeito do preconceito que essa geração do Instagram esteja passando, possa ser relacionado ao conflito de gerações que as pessoas de diversas idades viveram. Esse conflito sempre vai existir porque convenhamos que as pessoas que vivem mais de 50 e 60 anos, vão acabar presenciando transformações que serão novidades em suas visões de mundo. O medo de algo novo é inerente ao ser humano, sempre vamos tê-lo, porém, o que muitos não são capazes, é de encarar seus medos e usarem essas mudanças para melhorarem suas vidas.

Foto: Pixabay

A verdadeira moeda da atualidade:

A grande peculiaridade dos influenciadores é no método de como os acordos comerciais estão se transformando nas mãos deles. Muitos nesse mundo estão esquecendo os cartões de crédito, e a nova metodologia, também conhecida como a famosa “troca de @”, que consiste na loja ceder alguns artigos para que o público possa ser exposto a ela pelos influenciadores. Esse método tem sido totalmente atraente para os comerciantes dos mais diversos setores por logisticamente serem mais atraentes. Algumas das influenciadoras, como a Amanda Ferreira, enxergam nessa troca algo a mais do que parcerias comerciais, e sim, uma forma de união dos colegas em buscar de conseguirem explorar cada vez mais conteúdos de qualidade, e afirma que por causa disso, a troca de divulgação também se torna algo comum.

Foto: Pixabay

Para Amanda, o “like” não se tornou a nova moeda, na verdade, a união é que faz a diferença:

“Fico feliz em ver influenciadores se unindo, isso tem feito uma grande diferença, sozinho acabamos nos limitamos muito e quando nos unimos a outras pessoas exploramos mais conteúdos, então a troca de divulgação acaba sendo algo natural por conta dos trabalhos criados em equipe. Quando unimos influenciadores para gerar conteúdo não pensamos somente na troca de @ entre si, pensamos em trazer pras pessoas que nós acompanhamos conteúdos diferentes! Por isso a união virou a nova moeda da atualmente”.

Acompanhe os últimos artigos de Luca Moreirawww.instagram.com/lucamoreirareal

Sobre o autor:

Editor-Chefe | Entrevistador | + posts

Luca Rocha Moreira, mais conhecido como Luca Moreira, é um jornalista, escritor e entrevistador internacional brasileiro. Conhecido por suas entrevistas com mais de 500 personalidades em cinco países diferentes em seus primeiros três anos de carreira. É autor do livro "300 Histórias para Inspirar".